Pelo Mundo 

A arte do intraduzível

Algumas situações, sensações, atos, são difíceis de se traduzir em uma só palavra, difíceis de explicar, parecendo pertencer apenas ao campo das ideias. É que às vezes o idioma que falamos e nos expressamos não contempla toda a complexidade do que queremos dizer.

 

No português do Brasil temos o caso clássico da palavra “saudade”. O mundo inteiro sente mas nós conseguimos dizer o que sentimos através dessas sete letras. Vários outros idiomas tem no dicionário suas palavras intraduzíveis e diversos artistas já se utilizaram desse tema como objeto de inspiração.

 

No Pelo Mundo dessa semana apresentamos o trabalho da artista Marija Tiurina,  ilustradora e designer de games radicada no Reino Unido, intitulado “Untranslatable Words”. São quatorze palavras em línguas diferentes e Marija faz da ilustração uma tradução intercultural.

 

Sabe aquele misterioso poder que tem uma obra de arte de tocar as pessoas profundamente? Em espanhol isso se chama “duende”. “Gufra”, do idioma árabe, é a quantidade de água que cabe na mão. Quando você vai cortar o cabelo e sai pior do que entrou, “Age-Otori”, em japonês. “L’appel Duvide”, do francês, é aquele instinto (suicida) de pular de lugares altos. O terno carinho dos dedos escorrendo pelos cabelos de alguém é algo bem brasileiro, o “cafuné”.

Acompanhe abaixo algumas imagens desse trabalho da artista Marija Tiurina e amplie seu vocabulário cultural.

[Not a valid template]

Comente