Pelo Mundo 

Argila contemporânea

Toda cidade do mundo é uma capital. Por menores que sejam, elas procuram fazer de suas vocações – sejam comerciais, artísticas, históricas ou naturais – marcas de identidade e orgulho. Viajamos então por capitais da cerveja, da escultura, do futebol, do jazz, do Sol, e a jornada ainda estará longe do final.

 

O município de Liling, na China, é um desses casos e tem na cerâmica sua principal aptidão e característica. Polo tanto de produção industrial como também artesanal e artística, é o destino do Pelo Mundo de hoje.

 

O estúdio italiano de arquitetura Archea Associati acaba de entregar, após cinco anos de obras, um projeto que homenageia a cidade chinesa de forma sofisticada e original. É um complexo que envolve a cerâmica em múltiplos aspectos, especialmente o visual, dando a impressão de que todos ficaram miúdos e caminham por entre vasos, copos e taças.

 

Numa área de 69 mil metros quadrados, a empreitada contempla um museu, um hotel e dois edifícios com estrutura para a produção de peças em cerâmica. Os arquitetos destacam a questão das sobras de volume, ou seja, há muito mais do que a exigência da obra necessita. A intenção é criar uma atmosfera semelhante a de uma cidade histórica e valorizar as relações de proximidade através do “intra-espaço”.

 

“O ‘intra-espaço’, como visto na concepção original, toma a forma de uma linha de vasos que segue uma regra comutativa, mutável mas sem alterar o resultado final, sempre assegurado pela justaposição dos contornos generativos dos vasos.”

 

A obra não possui bordas nem linhas retas. Com temas geométricos e coloridos que de noite ganham luzes, a ideia é valorizar as curvas e atrair turistas. Confira as imagens desse impressionante complexo da arquitetura contemporânea:

[Not a valid template]

Comente