Boas Novas 

Casa dos Sentidos abre as portas para universo de crianças autistas

Projeto cultural trabalha arte como fonte de expressão e promete surpreender o
público com instalação sensorial

Iniciativa da Montenegro Produções Culturais entra em fase de captação de recursos pela Lei de Incentivo à Cultura e lança vídeo que apresenta os processos e encantos que estão por vir em Curitiba.

Concebida com a intenção de promover experiências de encontro entre crianças com autismo e manifestações artísticas, a Casa dos Sentidos nasce propondo que essas conexões possam ser caminhos para a expressividade, o autoconhecimento, a sensibilidade e o bem-estar dos meninos e meninas que integram o projeto. O contato com a arte, além de configurar uma descoberta das múltiplas possiblidades de se perceber o mundo, possibilitará também ao público um melhor entendimento sobre toda a magia e complexidade presentes no cotidiano de cada criança autista.

A Casa dos Sentidos é o resultado de um processo que começa com uma série de oficinas de criatividade em fotografia, cerâmica, desenho e pintura. A instalação cenográfica, produto final do projeto, compreende espaços que irão documentar e interpretar as sensações vividas nessa trajetória por meio de obras dos artistas André Coelho, Daniélle Carazzai, Guilherme Zawa e Sandra Hiromoto, os quais conduzem as oficinas com as crianças numa relação de trocas e aprendizado.

Quando aberta, essa casa tão repleta de significados contará para quem for visitá-la uma história de conhecimento, inclusão e acolhimento.

AS ETAPAS

Cada pessoa com o Transtorno do Espectro Autista é um universo único, sendo muito difícil qualquer generalização. Estas últimas costumam carregar preconceitos e estigmas sociais que a Montenegro Produções Culturais através desse projeto tem o intuito de combater pela via da informação. Em que pese todas as particularidades, um fator em comum pode ser a dificuldade de comunicação e interação social, dois elementos essenciais quando se pensa em arte.

  1. OFICINAS

Fase inicial do projeto, as oficinas de criatividade pretendem conferir meios alternativos de expressão, ou seja, instrumentos culturais que possam estimular o diálogo com o mundo, a interação com o outro e ampliação de um autoconhecimento que seja aliado da qualidade de vida.

Numa faixa etária que vai dos 4 aos 16 anos, as crianças vão tomar contato com novos materiais, ambientes, pessoas e incentivos. Durante duas semanas, respeitando sempre as singularidades de cada uma, serão trabalhadas quatro oficinas artísticas: desenho, com André Coelho; cerâmica, com Daniélle Carazzai; fotografia, com Guilherme Zawa; e pintura, com Sandra Hiromoto.

As oficinas carregam ainda um significado a mais: a atenção aos sentidos. O autismo possui uma condição de alteração no processamento das informações, quer dizer, variados estímulos podem ser percebidos ao mesmo tempo sem um filtro prévio do cérebro, o que pode ocasionar incômodos. Tendo em conta tal característica, as oficinas serão temáticas com enfoques em diferentes sentidos do corpo: audição para a prática do desenho; tato para cerâmica; paladar para a oficina de fotografia; e visão para a de pintura. A intenção é atentar para essa peculiaridade do TEA e traduzir em arte cada percepção particular.

  1. RELEITURAS ARTÍSTICAS

Após o término das oficinas de criatividade, os artistas, que terão criado vínculos e relações de trocas socioculturais com as crianças, serão convidados para a criação de obras artísticos, dentro da linguagem de cada um, que interpretem essa jornada de conhecimento. As impressões, sensações e descobertas ganham a partir dessa etapa uma nova vida, inspiradora e configurada em objetos de arte.

  1. INSTALAÇÃO CASA DOS SENTIDOS

A Casa dos Sentidos é o produto cultural final do projeto, o momento em que o público poderá sentir e experimentar um pouco da visão de mundo das crianças autistas. Trata-se de uma instalação cenográfica sensorial montada no Park Shopping Barigui, uma casa onde cada cômodo representa a história de uma das oficinas do projeto, com as imagens que documentam os processos de criação, as obras artísticas e, em especial, as múltiplas e encantadoras faces da condição autista.

ABRIL AZUL – LANÇAMENTO DO PROJETO

Em 2007, a Organização das Nações Unidas (ONU) fixou o dia 2 de abril como Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data simboliza a luta pela informação e o respeito, uma arma contra o desconhecimento que gera estigmas e preconceitos contra pessoas com a condição. Todo o mês de abril – Abril Azul – é dedicado, a partir de então, à ações que reflitam e divulguem a causa.

A Montenegro Produções Culturais elegeu o Abril Azul para o lançamento da Casa dos Sentidos por meio de um vídeo que retrata um pouco do fascínio que o projeto pretende compartilhar.

SEJA UM INCENTIVADOR

A Casa dos Sentidos é um projeto da Montenegro Produções Culturais aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura. Estão disponíveis ao mercado cotas de patrocínio com benefício fiscal. Associe sua marca!

Passo 1 – O patrocinador escolhe o valor que deseja investir (dentro do limite de 4% do IR para empresas baseadas em lucro real);

Passo 2 – O patrocinador deposita o valor na conta corrente do projeto aberta pelo Ministério da Cultura;

Passo 3 – O patrocinador anexa o comprovante de depósito junto à declaração do Imposto de Renda e garante o abatimento.

 

AGRADECIMENTO AOS APOIADORES

Agradecemos o apoio e colaboração de todos os envolvidos no lançamento da Casa dos Sentidos:

Gazeta do Povo, Casa Tangente, Associação União de Pais Pelo Autismo (UPPA), André Coelho, Daniélle Carazzai, Guilherme Zawa, Sandra Hiromoto, Sueh Vieira, Mariana Guedes, Gabriel Czelusniak Cabrera, Lucas Potter, Diogo Pinheiro, Nicolas Knoche e Lucas Knoche.

 

Comente