Trinta e poucos... 

Desconstrua que dói menos

Desconstrua tudo mesmo. Da imagem no espelho ao modelo de mãe que sua avó foi, e principalmente sua mãe eventualmente irá insistir que você siga. Da figura perfeita para ser seu companheiro, ao fato de que apenas com um companheiro seremos felizes para sempre.

Balelas. Ao invés do “bem me quer, mal me quer” com a pobre da flor, despetale-se. Invente verbos, tire a roupa, a máscara, o rímel, o salto alto e a ideia da cabeça que é preciso ser a materialização da perfeição no mundo.

A gente não nasce ao sair do ventre, muito menos ao parir.  É preciso lutar para que nos  currículos escolares esteja uma disciplina fundamental: Autonomia. Assim, fica mais fácil chegar aos trinta e poucos sabendo da importância de aprender a nascer em um tic e a morrer em todos os tacs que a vida nos apresenta.

Quando os movimentos do relógio a fizerem dançar e quando aprenderes a sorrir sem motivo algum, definitivamente os presentes mais marcantes da sua vida serão momentos. E ah, também aqueles lindos buques de rosas que comprares no caminho entre a sua casa e a escola do seu filho.

 

Carol Bond

[Not a valid template]

Transito entre libra e escorpião por ter nascido no que os astrólogos chamam de Cúspide. Sou jornalista por escolha, artivista social por amor e sou o que mais me der na telha, uma das coisas que aprendi como uma forma de reinvenção e desconstrução cotidiana de mim mesma. Comecei escrevendo e grudando as bolachas que ganhava dos namoradinhos, aos 10 anos de idade, nas páginas dos diários. Pois é, nem eu acredito que fiz isso. Coordeno um projeto sociocultural, chamado REDE N.Ó.S, por admiração e paixão pela arte e seu poder transformador (https://www.facebook.com/redenovaordemsocial?fref=ts ) e tenho um perfil do facebook que acabou virando meu diário da fase adulta: Inspira.ação: Minha Alma fala.https://www.facebook.com/minhaalmafala?ref=ts&fref=ts.

Um dia, quem sabe, consigo ter tempo de mantê-lo atualizado, como fazia, felizona, na adolescência. Pena que não conseguirei grudar bolachas, mas as flores quem sabe o instagram me ajude.

Comente