Pelo Mundo 

Ocean Sole: Magia através do Artesanato

Nairóbi, Quênia – detritos de chinelos de borrachas – “flip-flops” são encontrados diariamente espalhados nas praias e vias navegáveis da região. Para evitar um desastre ambiental, em 1997, Julie Church, um conservacionista marinho nascido e criado no Quênia, estava liderando o projeto de conservação e desenvolvimento para a Reserva Marinha Nacional Kiunga que fica logo abaixo da Somália no norte do Quênia. Baseado nesta experiência, surgiu a Fundação Ocean Sole que trabalha com as comunidades, cientistas, ambientalistas, artistas, governos, indústrias e outras organizações não-governamentais para aumentar a conscientização na conservação da vida marinha.

 

A Ocean Solen contribui para soluções de questões globais locais como prevenir e aliviar a poluição da terra e do mar, geração de empregos e divulgação de trabalhos artísticos locais. O projeto funciona a partir do recolhimento dos chinelos descartados que chegam as praias do Quênia. Em seguida, os ”flip-flops”  são colados para formar grandes blocos a partir do qual são criadas as estatuas. Elefantes, girafas, leões, rinocerontes e outros animais conhecidos do cerrado Africano são transformados através das solas de borrachas.

 

São coletados e processados cerca de 400.000 solas anualmente, desta forma, a Fundação visualizou um meio de geração de empregos em um país que possui a quinta maior taxa de desemprego do mundo, cerca de 40%  da população está  desempregada. Assim, a Ocean Sole colabora no aumento de empregos, são mais de 100 pessoas nas oficinas em Nairobi, das favelas da cidade e de áreas costeiras remotas. E mostra ao mundo sua mensagem sobre importância de proteger o meio marinho e terrestre através de esculturas coloridas e criativas.

[Not a valid template]

Comente