Contrapartidas Sociais: Era Uma Vez, dentro e fora dos Teatros!

O Festival Era uma vez, Eram duas, Eram três conta com o apoio financeiro de mais de 70 empresas patrocinadoras para acontecer. Todo o evento prevê uma audiência de 10 mil espectadores que estarão tanto dentro como fora dos teatros! Isso porque acreditamos em uma ação descentralizadora, que busca levar os espetáculos de forma alternativa, para outros ambientes, atingindo assim um maior e mais variado público. Uma das contrapartidas sociais do Era uma vez acontecem com o parceiro Hospital de Clínicas. Os Contos do Festival, e também histórias especiais de natal, chegarão ao programa social DEDICA, e à AAHC – Associação dos Amigos do HC, por meio de Contações de Histórias e Oficinas Criativas.

Outro movimento acontece com as escolas públicas de Curitiba. As histórias de João e Maria, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho e João e o Pé de Feijão também chegam para essas crianças de dentro das escolas! Parte da bilheteria do festival é destinada exclusivamente para esse público, as sessões de domingo de manhã são destinadas para as escolas. Com essas ações, teremos mais de 500 crianças, pais e familiares beneficiados! Assim, conectamos crianças, que muitas vezes não têm oportunidade de ir ao teatro, ao nosso festival. Uma forma de democratizarmos a arte e aproximarmos núcleos sociais possivelmente distantes – crianças ávidas pela cultura à artistas locais.

Nas imagens, os registros da apresentação do CORAL de NATAL que integrou as ações culturais do final de ano:

 


DEDICA

Programa de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, mantido pela Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas, presta assistência interdisciplinar a crianças e adolescentes vítimas de violência grave ou gravíssima. Recebe crianças e adolescentes encaminhados pelo Hospital de Clínicas, pelo Ministério Público, Vara da Infância, Conselhos Tutelares, Delegacias e de outros centros de atendimento.

O Programa presta assistência interdisciplinar gratuita, médica, psicológica, psicanalítica, social e faz os encaminhamentos das medidas de proteção legal para as vítimas, responsáveis e agressores, estes quando passíveis de tratamento. É modelo nacional em atendimentos a crianças e adolescentes que vivem em situações de violências.

Saiba mais: https://dedica.org.br/

Menu