Marketing Cultural

Marketing Cultural: quais são os pré-requisitos para montar uma contrapartida de imagem interessante comercialmente?

3 dicas importantes de MARKETING CULTURAL

Qualquer ação que uma empresa tome no mercado (seja mesmo qual for!) conta pontos que podem sustentar, elevar ou depreciar sua imagem institucional. Nesse sentido, é comprovado que associar-se à cultura pode gerar muitos pontos positivos para uma empresa, beneficiando a organização – e isso nada mais é do que marketing cultural!

O marketing cultural é uma estratégia utilizada por empresas (que podem ser grandes ou até mesmo pequenos negócios) para que, por meio de apoios ou patrocínios a projetos culturais, associem suas marcas ao produto gerado, agregando valor a ambos os lados.

Num estudo divulgado pela Fundação João Pinheiro (http://www.fjp.mg.gov.br/) junto a 111 organizações brasileiras de grande porte, há 6 principais objetivos que motivam a participação e investimento de empresas em projetos culturais:

– Ganho de imagem institucional;
– Agregação de valor à marca;
– Reforço do papel social da empresa;
– Obtenção de benefícios fiscais;
– Retorno de mídia (gratuita);
– Aproximação do público-alvo.

Mas quais são os principais pré-requisitos que um elaborador de projetos precisa ter em mente para conseguir ofertar uma contrapartida que desperte um bom interesse comercial em seu parceiro?

  1. CONHECER A EMPRESA ANTECIPADAMENTE – Marketing cultural é uma estratégia de troca de recursos de patrocínio por retorno institucional e tem a ver com a marca, identidade e valores subjetivos agregados, então NÃO se pode apresentar um projeto sem conhecer a empresa antecipadamente. É preciso saber o que ela faz, o que produz e que tipo de projeto já patrocinou.
  2. CAPRICHAR NA CARTA DE APRESENTAÇÃO DO PROJETO – Para além dos tópicos básicos de um projeto, como descrição, justificativa, objetivos, cronogramas, orçamento, currículos e até mesmo a descrição da contrapartida proposta ao patrocinador, uma carta de apresentação personalizada, onde a empresa seja plenamente identificada com o seu projeto, é de extrema importância e pode ser seu diferencial.
  3. ESTEJA ABERTO A MUDANÇAS – Às vezes você pode esbarrar com um empresário que tenha um estilo perfeccionista ou que queira, talvez, receber algum louro na sua criação. Esteja aberto não para alterar o conteúdo do seu projeto, mas para modificar algum detalhe que possa fazer a diferença entre conseguir fechar ou não a parceria. Inserir uma simples frase, como “estamos abertos para discutir outras formas de retorno de acordo com o interesse da empresa” pode demonstrar sua flexibilidade para a concretização do patrocínio.

E lembre-se: sendo o marketing cultural uma via de mão dupla, leve sempre em consideração os artistas envolvidos no seu projeto, para que os mesmos tenham orgulho e se sintam à vontade em representar / associar seus nomes à marca patrocinadora.

Quer mais dicas de marketing cultural? Baixe o pdf do Sebrae em:

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/50-dicas-de-marketing-cultural,479b43f87dc17410VgnVCM1000003b74010aRCRD

Demais artigos sobre marketing cultural:

https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos11/25914318.pdf
https://agenciaeuphoria.com.br/conheca-4-caracteristicas-do-marketing-cultural/
http://www.ideiademarketing.com.br/2013/03/27/por-que-investir-em-marketing-cultural/
https://www.culturaemercado.com.br/site/marketing-cultural-atitude-de-marca-e-outras-expressoes/
http://marketingcultural.com.br/contrapartidas-saiba-como-escolher/

Redação: Ana Martins

Menu