O Brasil tem todas as cores. Todos os tons que se combinam entre si aqui habitam.
A luz prismada se divide em milhões de afetos.
Em nossas cores habitamos. Nossos tons também são nossa invenção.
As tonalidades nos diferenciam, mas também nos afirmam e na plural diferença nos encontramos.
O Brasil tem todas as cores e cada cor é um Brasil inteiro.

SALVADOR-BA, Leonardo Yasuda

ENCONTRO DAS ÁGUAS – MANAUS-AM, Michael Dantas

REPRESA DE FURNAS-MG, Eduardo Ishikawa Pedro

FERNANDO DE NORONHA-PE, Eduardo Ishikawa Pedro

FERNANDO DE NORONHA-PE, Eduardo Ishikawa Pedro

ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA – BRASÍLIA-DF, Leonardo Jacinto Caldas

FOZ DO IGUAÇU-PR, Daniel Castellano

BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC, Daniel Castellano

CÚPULA DO TEATRO AMAZONAS – MANAUS-AM, Michael Dantas

ARENA DA AMAZÔNIA – MANAUS-AM, Michael Dantas

CURITIBA-PR, Guilherme Pupo

PARAISÓPOLIS – SÃO PAULO-SP, Daniel Rodrigues de Frias

 

PORTO DE ITAJAÍ – ITAJAÍ-SC, Daniel Castellano

 

BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC, Daniel Castellano

 

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

 

LONDRINA-PR, Daniel Castellano

LONDRINA-PR, Daniel Castellano

MARINGÁ-PR, Daniel Castellano

CURITIBA-PR, Guilherme Pupo

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

 

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

 

CURITIBA-PR, Daniel Castellano

PARQUE DA CIDADE – SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

Entre nossos lugares cor de natureza, entregamos ao vento nossas paisagens que nunca se esgotam e arrancam nosso silêncio.
A cor do nosso campo é também nossa cor-memória, pois o sol ilumina as pegadas por onde passamos e nossa ação sobre aquilo que é nosso lugar.
A cor do nosso campo é nossa arqueologia contínua, nossa paisagem construída, nossa cor-ficção.

ARTUR NOGUEIRA-SP, Leonardo Yasuda

SÃO TOMÉ DE PARIPE-BA, Leonardo Yasuda

SALVADOR-BA, Leonardo Yasuda

BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC, Sergio Ranalli

MANAUS-AM, Michael Dantas

SÃO JOSÉ DO XINGU-MT, Sergio Ranalli

CRAVINHOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

MARINGÁ-PR, Thiago Louzada

CURITIBA-PR, Marcelo Castro Araujo

MARINGÁ-PR, Daniel Castellano

LONDRINA-PR, Daniel Castellano

LONDRINA-PR, Daniel Castellano

ITATIM-BA, Leonardo Yasuda

BARREIRINHAS-MA, Eduardo Ishikawa Pedro

LENÇÓIS MARANHENSES-MA, Eduardo Ishikawa Pedro

SALINAS-RN, Valdemir Cunha

MARCO ZERO – RECIFE-PE, Felipe Lima

INDAIATUBA-SP, Eliandro Figueira

RIO DE JANEIRO – RJ, Isabella Mayer de Melo

BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC, Daniel Castellano

BARRA VELHA-SC, Daniel Castellano

BARRA VELHA – SC, Daniel Castellano

BRASÍLIA-DF, Leonardo Jacinto Caldas

MANAUS-AM, Michael Dantas

FOZ DO IGUAÇU-PR, Daniel Castellano

CARAJÁS-PA, Valdemir Cunha

CURITIBA-PR, Daniel Castellano

SALINAS-RN, Valdemir Cunha

SALVADOR-BA, Carlos Santiago

BERTIOGA-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

PRAIA PONTA NEGRA – MANAUS-AM, Michael Dantas

CEMITÉRIO DA SAUDADE – PIRACICABA-SP, José Furlan Pissol

RIO PIRACICABA – PIRACICABA-SP, José Furlan Pissol

Somos abstraídos pelo verde do espaço. Talvez pelo fato do verde ter sido por muito tempo nossa morada. Quantos tons de afeto tem o verde? O mar, a selva, o bosque, o parque.
No Brasil o verde nos abraça. Já se perguntou quantos tons de afeto existem? Talvez seja o verde-Brasil que nunca esquecemos e que manda chamar por milhares de quilômetros pela memória afetiva dessa terra onde habitamos e somos então habitados pelo verde-afeto.
Nosso verde é nosso lugar.

FOZ DO IGUAÇU-PR, Daniel Castellano

BRUSQUE-SC, Daniel Castellano

BLUMENAU-SC, Daniel Castellano

BLUMENAU-SC, Daniel Castellano

SÃO PAULO-SP, Cássio Vasconcellos

CURITIBA-PR, Cássio Vasconcellos

MARINGÁ-PR, Daniel Castellano

LONDRINA-PR, Daniel Castellano

MARINGÁ-PR, Daniel Castellano

CRAVINHOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

BÚZIOS-RJ, Eduardo Ishikawa Pedro

BÚZIOS-RJ, Eduardo Ishikawa Pedro

CRAVINHOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

JOÃO PESSOA-PB, Felipe Lima

PORTO DE GALINHAS-PE, Felipe Lima

MARINGÁ-PR, Thiago Louzada

FOZ DO IGUAÇU-PR, Daniel Castellano

Nossa cor é palíndroma. Se saímos do verde-mata atravessamos o campo para chegarmos ao verde-mar. Que pode ser azul. Que é colorido branco-auzl-Iemanjá e caipirinha-biquíni-guarda-sol.
O mar Brasileiro é um lugar-significado. Nosso mar tem cor de poesia e se define pelas palavras que não conseguimos dizer. O mar é nosso sonho-cor que nunca se efetiva, pois é lembrança.

IMBITUBA-SC, Lucas Pontes

ITAJAÍ-SC, Daniel Castellano

GUARDA DO EMBAÚ-SC, Adriano dos Santos

FERNANDO DE NORONHA-PE, Eduardo Ishikawa Pedro

FERNANDO DE NORONHA-PE, Eduardo Ishikawa Pedro

BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC, Daniel Castellano

NAZARÉ PAULISTA-SP, Leonardo Yasuda

PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM, Michael Dantas

CAMPINAS-SP, Leonardo Yasuda

SALVADOR-BA, Leonardo Yasuda

SALVADOR-BA, Leonardo Yasuda

FOZ DO IGUAÇU-PR, Daniel Castellano

BRUSQUE-SC, Daniel Castellano

PREFEITURA DE ITAJAÍ -SC, Daniel Castellano

PORTO ALEGRE-RS, Valdemir Cunha

GUARULHOS-SP, Valdemir Cunha

ITAJAÍ-SC, Daniel Castellano

PANTANAL-MS, Valdemir Cunha

ANAVILHANAS-AM, Valdemir Cunha

PANTANAL-MS, Valdemir Cunha

FOZ DO IGUAÇU-PR, Valdemir Cunha

MANAUS-AM, Michael Dantas

REPRESA DE FURNAS-MG, Eduardo Ishikawa Pedro

UBATUBA-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

A cidade é nossa cor-criação e tem todos os tons do nosso imaginário — que é infinito, plural e multicolorido. A cor da cidade é nossa cor-gesto. O conjunto de corações pulsantes e desejantes que buscam se traduzir no mar de possibilidades que é a cidade.
Nossa cor-cidade é também cor-ação. A cor da cidade é a transformação contínua.

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP, Eduardo Ishikawa Pedro

SÃO PAULO-SP, Cássio Vasconcellos

FONTE BOA-AM, Michael Dantas

RIO DE JANEIRO-RJ, Eduardo Ishikawa Pedro

MANAUS-AM, Michael Dantas

CURITIBA-PR, Guilherme Pupo

LONDRINA, PR – Daniel Castellano

SALVADOR-BA, Carlos Santiago

MARINGÁ, PR – Daniel Castellano

INDAIATUBA-SP, Eliandro Figueira

ITACOATIARA-AM, Sergio Ranalli

NOVO AIRÃO-AM, Michael Dantas

PONTA GROSSA-PR, Fabiano Rosas Rocha

INDAIATUBA-SP, Leonardo Yasuda